Páginas

terça-feira, dezembro 14, 2010

O ano que ainda não passou...


Hoje quero fazer um post diferente, para retribuir o meu sumiço. Quero falar sobre o que eu odeio e o que gosto, no final do ano, porque, não sei vocês, mas esse é o assunto que mais me ronda quando chega a dezembro.
Sabe quando está quase no finalzinho, chegando no dia do natal, ou até mesmo nos meados de outubro, e você para, e pensa: o que eu fiz esse ano?
Bom, o que eu fiz? Esse ano, para mim, pode se dizer que não foi um dos melhores, mas também nem um dos piores. Foi normal até o ponto que poderia ser. Eu conheci pessoas que achei que nunca poderia saber realmente como eram, transformei alguns amigos em inimigos, iniciei aqui no blog postando coisas que me vinham a cabeça. Tive meu coração intacto, sai mais, ri e chorei horrores, brinquei,comecei a tocar um instrumento musical e fiz até uma apresentação, abri minha vida para mais pessoas, fui feliz e, o mais importante, eu vivi. Vivi cada dia, não como se fosso o último, mas sim o primeiro. Senti os dias escorrendo pelas minhas mãos, porque, vamos combinar, esse ano passou rápido. Não tive tantas surpresas, e mesmo assim levei este ano como uma. Comecei a me tornar menos tímida o tanto quanto consegui, li livros que me levaram os lugares tão diferentes e mágicos, vi e refleti mensagens de filmes, revirei os olhos para uns, entendi o que se passava na cabeça de outros. Posso falar que esse ano vai ficar marcado como todos sempre ficam. Posso dizer que não foi aquele ano em que fiz muitas conquistas, mas também não fiquei sem vitórias. Na verdade, dois mil e dez ficara marcado em mim como o ano das coisas mais normais acontecidas, o ano em que vivi aquilo que é considerado pequeno, mas afinal, o que seria de nós sem as coisas pequenas para se encaixar?
Sei que, para outras pessoas esse breve tempo de 365 dias ( que ainda nem acabaram) pode ter sido ótimo e o melhor ano de suas vidas, e também sei que cada um tem uma história para contar. A minha foi simplesmente essa, e como toda história minha, no final vem à lição: aprendi, em dois mil e dez, a levar as coisas mais a sério, mesmo que ainda esteja colocando isso em prática, sofri perdas e ganhas, aprendi a ser menos arrogante, a não levar as coisas que deveriam me tirar sorrisos para o lado do choro, aprendi a odiar e a amar mais, e, o que mais eu não odiei e amei nesse ano foi que eu o vivi apesar do que aconteceu, eu estava pronta para passar por cima.
Todo mundo, quando chega o final do ano fica com aquilo de que ano que vem será melhor, que fará o que não fez no passado, mas pense: esse ano foi melhor sim, porque você o viveu independente de tudo.
Eu, como toda pessoa, quero um dois mil e onze melhor, mas não vou dizer que o ano passado foi pior e passou , vou dizer que foi mais um ano que me fez crescer como pessoa e ser humano.
Neste ano, não só aprendi a pensar mais com a cabeça, do que com o coração, porque pensamentos e opiniões rasuradas são mais fáceis de consertar, como também aprendi a pensar com os dois.Afinal, o que seria a vida sem algumas coisas para se consertar, antes de começar tudo de novo?
Sei que ainda faltam alguns dias para o final do ano, meu aniversário ainda nem chegou, o natal, ano novo, mas quero desejar um dois mil e onze ótimo, e que todo mundo que esteve aqui no blog, continue.
E mais uma coisa: viva o final que ainda não aconteceu e o começo intensamente, faça cada dia parecer, no final da noite, válido.
Feliz mais 365 dias sem pensar tanto no que vocês odeiam, e mais no que amam, afinal, eu odeio várias coisas, mas não se esqueçam que antes do ódio, vem o amor.
E lembrem - se : ainda faltam alguns dias, você ainda pode fazer desse ano um ano melhor!
Beijos, Tatiane.

0 comentários: